quarta-feira, 27 de abril de 2011

A importância da organização do espaço escolar no processo educativo


Ao  refletirmos sobre a educação brasileira e os processos pedagógicos de ensino-aprendizagem que nela estão inseridos,  precisamos considerar  toda a diversidade de nossa sociedade e que esta  se constrói ao longo da história em espaços e tempos próprios de nossa cultura de forma ampla, complexa e não estática.
Nossa cultura esta intrinsecamente ligada a nossa história, que por sua vez, se desenvolve num espaço heterogêneo e multifacetado do território brasileiro, sendo assim, heterogêneo, diversificado e multifacetado também é o espaço escolar das escolas brasileiras.
O espaço escolar é o ambiente consagrado em nossa cultura destinado ao desenvolvimento dos processos educacionais de ensino e aprendizagem, embora saibamos que a educação tenha um sentido mais amplo que contempla também ambientes não escolares.
Focaremos nossa reflexão na importância  da organização dos espaços físicos e de aprendizagem existentes na escola e da dimensão espacial humana das relações e interações dos sujeitos que a habitam.
Segundo Paulo Freire: “Há uma pedagogia indiscutível na materialidade do espaço”. (FREIRE, 1999:49).
Refletindo ainda sobre a importância do espaço e sua função social podemos também citar a frase do geógrafo baiano Milton Santos em que diz: “A História não se escreve fora do espaço, e não há sociedade a-espacial. O espaço, ele mesmo é social.” (SANTOS, 1979. p.9).
O planejamento e a reflexão sobre o espaço educativo é fundamental no processo de ensino-aprendizagem dos educandos, pois é nele onde são promovidas as interações entre os sujeitos e os objetos de conhecimento.  Por tanto o espaço escolar deve ser organizado de forma a favorecer o desenvolvimento do coletivo propiciando aprendizagem através da socialização e troca de experiências e saberes diverso.
Ao se planejar e organizar o espaço escolar, é imprescindível considerar o aspecto da diversidade e heterogeneidade presente na escola que deve procurar atender as diferenças dos educandos promovendo a  liberdade de expressão e de movimento, autonomia, cooperação e interação, itens indispensáveis a formação do sujeito aprendente.
A forma como os espaços estão organizados comunicam as ideias e as concepções que permeiam o pensamento de quem os idealizou projetou ou organizou, e podem libertar a alma, o pensamento para o desenvolvimento ou embotá-lo. (SILVIA PERRONE, 2011)
Refletindo sobre o espaço escolar devemos pensar e agir em prol de uma escola que seja rica em possibilidades de interações humanas e que se permita a troca de saberes e o livre expressar das ideias, concepções e visões de mundo contidas nos sujeitos que a habitam.
Para tanto, é necessário um esforço coletivo de todos os agentes participativos da escola na tentativa de compreender a complexa multidimensionalidade e diversidade do espaço escolar que é sobretudo humano abrigando suas inúmeras capacidades como o pensar, criar, sentir e agir modificando e transformando o seu entorno. É nessa perspectiva que devemos idealizar e trabalhar não para uma escola estática e burocrática e sim para um escola humana e transformadora ou seja uma “escola viva”

Referencias bibliográficas
·         texto: espaço escolar. Disponível em:        http://brunoguilherme.blogspot.com/2006/07/teoria-e-prtica-uma-inepta-dicotomia.html (acesso em 22.04.2011).
·         Poema: Para Sara, Raquel, Lia e para todas as crianças. Disponível em:
·         texto: gaiolas e asas. Disponível em:
·         texto: educar na diversidade: práticas educacionais inclusivas na sala de aula regular. Disponível em:
·         GUIA DE ESTUDOS DE PEDAGOGIA, “Pedagogia: planejamento, processos pedagógicos, problemas contemporâneos” Ano 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário